Rabiscos,escritos e pensamentos

O fim da primavera

Estava eu ali sentada ainda digerindo tudo aquilo que me disse, era uma daquelas tardes que nos remete a infância, o Sol ardia lá  fora mas o calor era sutil, o vento soprava um ar fresco, seus cabelos ainda grandes balançavam, meus olhos já estavam enchendo de lágrimas  quando ele por fim decidiu ir embora.
 

Eu desabei mesmo, o amava, me arrastei no chão enquanto ele caminhava lentamente em direção a porta, esperneei, gritei até não ter mais voz, ele não se importou, foi embora sem levar nada, deixou tudo para trás.
Eu fiquei ali, esperei, pensando que voltaria, foram dias a fio, nem sequer um sinal, mas chorei até secar a última gota junto a porta ainda aberta.

Quando enfim resolvi fechá-la de uma vez e olhei a minha volta, minha pequena casa estava imunda, gastei horas esfregando crostas grossas de pó, de gordura, Estava tão acostumada com aquilo que esqueci a verdadeira cor por baixo da sujeira, me olhei no espelho e estava horrível, foi necessárias seis horas para ficar “aceitável”, enfim com a casa no lugar outra vez pude aproveitar e aprender apreciar cada pedacinho meu.

Me acostumei de novo, mas agora com tudo organizado, cada coisa no seu lugar, não havia mais tempo para pensar em sua partida pois me ocupava fazendo outras coisas, estava tudo em paz, estava tudo tranquilo até ele voltar…

Parecia ter acabado de sair de uma tempestade, os cabelos estavam molhados, sujos de lama assim como a camisa que marcava bem seu tronco forte e as calças marcando cada parte da perna forte de atleta, os pés sujos de barro, não havia nada que segurava nem nas mãos e muito menos nos braços, eu estava tomando meu chá da tarde quando chegou, levantei devagar e observei a expressão fria no rosto e a água suja pingando na soleira da porta sem saber o que fazer.

Fiz um gesto pedindo que esperasse com as mãos enquanto tentava raciocinar sobre tudo aquilo, era estranho tudo aquilo acontecendo ali, depois de tanto tempo, estava tudo limpo e organizado, ele não se encaixava mais ali, mas por dentro o coração inflamava, ardia, chamava por ele novamente, aquela era chance, a oportunidade…o aceitei de volta de braços estendidos, ele sujou toda casa de lama e não me importei, mas também foi difícil convencê-lo a retirar toda aquela sujeira, ele negava e dizia que tudo aquilo fazia parte dele e não havia nada demais, mas passando algumas semanas a casa estava imunda novamente, era como se o pesadelo voltasse.

Ele aceitou então se limpar para que tudo corresse da melhor maneira possível mas havia algo de errado, as coisas se quebravam facilmente em suas mãos por mais fortes que fossem, tudo ficava sujo ou encardido com facilidade, estava tudo uma confusão e ele estava ali, talvez d corpo mas não de alma.

Por fim, eu disse que ele precisava partir e não doeu nada dessa vez…

Anúncios

31 comentários em “O fim da primavera

  1. Ai que texto mais lindo ❤ parece até que saiu de um pedaço de livro.
    Eu amei a escrita, amei sentir na pele, me colocar no lugar dela.
    Maravilhoooooso ❤

    Curtir

  2. Texto muito lindo essa parte “Me acostumei de novo, mas agora com tudo organizado, cada coisa no seu lugar, não havia mais tempo para pensar em sua partida pois me ocupava fazendo outras coisas, estava tudo em paz, estava tudo tranquilo até ele voltar…” me fez pensar, as vezes nós nos esquecemos de nos dar importancia,a gente se deixa pra lá… ela colocou “tudo no lugar” e não pensou mais em sua partida, porque o assunto lá agora era ELA! E quando ele voltou.. bom já não fazia mais falta, pois ela se redescobriu!!! amei o texto ♥

    Curtido por 1 pessoa

  3. A reflexão foi ótima, incrível. É desse jeito quando não temos um relacionamento bom. Você conseguiu desenvolver o texto de uma forma que mostrasse o jeito que a gente se sente quando a pessoa vai e depois volta. Isso já aconteceu comigo, não foi uma experiência agradável e sofri bastante. Me fez lembrar aquela época.
    Você tem uma escrita ótima. Parabéns!

    Curtir

  4. Caramba, eu precisava mesmo desse texto. Alguém entrou em minha vida e fez a maior bagunça, foi embora sem avisar e me deixou sem chão. Eu estou fazendo de tudo pra construir minha vida novamente e não esta sendo fácil. Eu quero organizar tudo e olhar e ver que nada faz falta. Sei que no fim vai dar tudo certo mas agora está difícil.

    Curtir

  5. Olá!! Gostei muito da forma que você escreve, achei profundo e é como se todo mundo fosse capaz de entrar no seu mundo literário e se identificar com o que seu personagem passou. Parabéns! É disso que precisamos na nossa literatura contemporânea ❤

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s